Follow by Email

Total de visualizações de página

domingo, 1 de abril de 2012

Meu silêncio meu umbigo


Meu silêncio me leva pra dentro de mim pela porta do umbigo. Esse ponto no centro do corpo, eixo por onde circunda e move a vida desde a fecundação, pelo amor que transgride fronteiras do ser...veiculo do alimento vital...
Em silêncio me econtro nele o umbigo.
Aconchego pensamentos, e acaricio a saudade do início... que permanece intrauterina de tão arraigada e sem chance de ser acalmada.
Pra retratá-lo uso pontiaguda agulha condutora de fios, a tecer a arquitetura do silêncio que me leva pra dentro de mim mesma, a espera da generosa compreensão de meus próprios atos, pensamentos, sonhos, desejos e inspiração. Auto-conhecimento. 
No silêncio estou diante dos meus gritos e sussurros, do meu canto emudecido, de minhas palavras incodificáveis, versos perdidos, pensamentos não autorizados, rótulos prescritos, liberdade furtada...
Meu  umbigo, porta de entrada e saida...lugar de descanso e de agonia...porto seguro e ondas bravias, tempestade que ameça a partida sem que a chegada tenha sido consolidada ainda...
Meu silêncio, estado d'alma; meu umbigo,  lugar de deitar a cabeça, roçando a face, buscando a margem derradeira do rio que corre calmo, murmurante... correnteza fácil, percurso sem definição...
Meu silêncio...como sou e desejo estar pra me encontrar perdida diante de cem mil desconhecidos acessos abertos diante de meus caminhos, sem que eu saiba ao certo qual deles a mim mesma levaria...Sensação que sómente pelo umbigo me daria, a certeza do encontro com meu próprio silêncio e nele afundar a cabeça e adormecer sem relógio do tempo, sem pressa, em completo silêncio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário