Follow by Email

Total de visualizações de página

segunda-feira, 18 de março de 2013

De Clarice pra Clarice.

Nenhuma sentença foi capaz de expressar os sentidos
Da  voz que ecoou lamentos em meus ouvidos
Pausa pra escurecer o dia
Noite que resolve ser fria
Janelas que batem asas abertas
Peito apertado
Coração vazio
Pranto regado
Riso escondido
Tempo passado
Perdido
Coro manhecido
Clarice murmura
Na surda penumbra
Seu sonho  esquecido

Nenhum comentário:

Postar um comentário