Follow by Email

Total de visualizações de página

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

TOKOMYSTICKO

Eu terminava de dar a entrevista completanto...Claro que eu conhecia bares como aquele mas, entrar em um deles, cumprimentar os freqüentadores presentes e me encostar no balcão sem querer consumir coisa alguma, eu nunca fizera em minha vida...Por isso, fazia...Eu estava lá num desses botecos  de esquina que acolhe a homarada no seu tempo livre...uns  com todo ele  livre, outros com apenas algum, se reúnem pra conversar, beber,  beliscar cubinhos  de animais mortos há algum tempo, congelados e queimados ao ar livre em pequenos espetos pra facilitar o enterro final e merecido do animal.Cheguei no meio do fim da tarde, sentia-me fazendo uma visita, não apenas ao dono do bar, mas ao bar inteiro incluindo os presentes que me olharam curiosos acenei um boa tarde e fui direto ao balcão e então o vi... Entre um afazer e outro me cumprimentou quase sem me olhar, depois ficou conversando... sobre sua saúde ...não comigo...eu sim fiquei conversando com ele – olhei seu rosto conhecido em outro rosto e vi nele guardado os sinais de um ar enigmático e misterioso, próprio dos tais conquistadores...jeitão que deixa as mulheres atiçadas a decifrar seu enigma e descobrir os mistérios...e vão se deixando levar e ele por sua vez vai colecionando aventuras distribuindo no caminho corações plantados...Preciso apressar meu imaginário...o tempo passava rápido...eu tinha que entrar naquela história e então quando fui me despedir dele falei:Precisa de um balconista? (palavra mais bizarra balconista...)Ele mostrou-se desentendido, reforcei: um ajudante pro bar?Ele então num sorriso econômico pergunta... É pra você? E antes  que respondesse explicou-me ...nosso negócio aqui é de família, já tenho ajudante e não temos planos de investir em funcionários, nossa renda é pequena e não comporta...Estava gostando do caminho que percorríamos nossa conversa...Eu insisti...só quero um estágio, sem remuneração em um dos períodos apenas...o que acha? Ele então responde, não entendo muito de estágio vou ter que falar com minha filha mais velha...mas se não tenho gasto aceito, pode começar amanhã a partir das 17hs...E o que farei exatamente, posso melhorar a decoração, colocar musica ambiente, um paisagismo...ele interrompeu já com ar de chefe...ficará encarregada de preparar e assar os espetos de carne, nesse período é o que mais sai...Engoli seco quase a língua foi junto me sufocando...olhei pros lados pra mudar de foco...uma desconhecida me olhava...meio rindo...parecia se divertir  com minha quixotesca situação...pra não chorar distrai o olhar percorrendo as mesas e sua clientela que comia ou bebia...todos Sancho panças, um frio percorreu meu corpo inteiro...uma boiada com milhares de bois uns sem pernas, outros sem cabeças, todos faltando membros partes do corpo sangrando, vinham velozes em minha direção babando desenfreada... Pensei  em acordar de um pesadelo, mas isso já escrevi antes...e a história estava boa demais...pra um fim usado...a boiada aumentava quanto mais eu me demorava em decidir o que fazer...O tempo escorria rapidamente e eu comecei a ter pena de minha triste invenção...eu faço isso comigo as vezes...mas desta vez...não sei não... No dia seguinte  eu estava lá pro meu estágio de acesso ao inferno carnívoro. Ele veio ao meu encontro surpreendendo-me com um sorriso que eu não conhecia... menos pão duro, mais solícito, acho que tirou lá do fundo do seu velho baú um restinho do ser enigmático misterioso que sobrou esfarrapado...Simpático pergunta-me: e então... disposta? Tem alguma ideia pro churrasco...temos uma horta abandonada ai nos fundos...alguns tomates insistem e dão o ano todo...nossa...essa foi boa...Respondi de pronto: Sim tenho muitas idéias pro seu churrasco...muitas...muitas ideias...Isso ja faz seis meses. O bar hoje é 100% vegetariano...temos música ambiente 24hs., sucos de frutas com ervas perfumadas, o de abacaxi com hortelã é especialidade da casa, a filha mais velha cuida do cultivo e do suco e me ajuda em meu estágio...herdeira do negócio era interessada, empenhou-se. Ele passou a praticar yoga com a filha de vez enquando a esposa arrisca uma postura, temos um espaço de meditação nos fundos próximo da horta...Está totalmente curado  voltou pra ativa seu olhar enigmático e misterioso. Está feliz e a mulherada do lugar ainda mais...os corações voltaram a ser plantados fertilizando o caminho dele...delas...meus...seus que lê agora essa história...Semana que vem inauguramos a franquia TOKOMYSTICKO com mais dois pontos na região...terminei agora de atender a imprensa...Conclui meu estágio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário