Follow by Email

Total de visualizações de página

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Grude

A poesia grudou em mim...ficou na minha pele e quando a ignoro vira coceira e me atormenta o sono o dia a alegria...poesia e desejo grudaram em mim e quando finjo que não vejo, gritam ao meu ouvido e me assustam alarido...poesia desejo e saudade grudaram em mim e quando não sei se percebo ou não, me dão um enorme susto que até  meu soluço vai se esconder no alçapão...poesia, desejo, saudade e vontade de ser e fazer grudaram em mim e eu deixo que fiquem assim...me habitando...tornando-me morada pra tantos outros seres pensares e fazeres...que vivem agora assim...morando em mim...sem pressa...num ritmo de caracol...tartaruga...preguiça...em fim para ter tempo de se fazer poesia, desejo, saudade, vontade de ser grudados em mim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário