Follow by Email

Total de visualizações de página

domingo, 9 de outubro de 2011

Desamar o amor

Desamar o amor...  por que sangra...tem o vermelho como cor...Se esta ideia virar pintura em tela tatuada será assim...vermelha...
Pra desamar o amor
Tem que se fazer o caminho de volta sem perder nenhum atalho, tem que se fazer um inventário... de como aconteceu o amor que se quer desamar...Tem que se retomar cada desenho do percurso trilhado, cada elemento do cenário, cada por do sol, luar, ventania, escuridão, risos, alegria, sons musicais, ruídos...tem que se re-respirar o ar, reconhecer a identidade dos cheiros, perfumes, tem que desconstruir cada segundo que compôs o tempo de amar. Voltar a todos os relógios que marcaram esse tempo, sobretudo deles, o responsável pelo primeiro olhar...voltar a esse relógio responsável e reprogramar seus marcadores de tempo e de lugar...Pra desamar o amor tem que se reescrever a história com a ajuda da memória de cada ator personagem, seu script, roupagens, sentimentos, fantasias...Tem que voltar aos lugares todos eles visitados, imaginados, desejados de se estar com ele o amor que se pretende desamar...Pra desamar o amor tem que se recuperar todos os presentes, bilhetes, cartas, projetos de viagem, passeios, aventuras, realizados ou não...imaginados ou não, verdadeiros ou não, todos! Pra desamar o amor tem que re-escutar cada música que trouxe lembranças e sinalizaram desejo, carregaram escondido nas palavras e na voz do cantor, um pedido, uma proposta de amar de outro jeito, e lugar... re-ouvir cada música que compôs o repertório das tardes, noites, e suas presenças ausentes ou não...tem que saborear novamente cada fruta e semente que alimentou o amor...cada gole de água fresca que saciou a sede de querer amar este que se quer agora desamar...Tem que se revisitar cada escrita, seu objeto literário, inspiração, palavras, contextos e textos... pretextos que motivaram sua criação...tem que se voltar aos lugares, em cada um deles e tirar de lá as marcas que ficaram...provas do amor...testemunhas...registros...projetos secretos...tem que se pedir ajuda ao super herói do amor pra que ele refaça por no mínimo mil vezes o giro em torno da terra e voltar o tempo um ou dois dias antes, por segurança e para não errar, antes do amor encontrar...Pra desamar o amor tem que sofrer, chorar, tem que sangrar o sentimento até dar vazão, feito sangria que livra da febre o corpo ardendo sem ungüento que o alivie...o fogo que queima no desejo de amar...Pra desamar o amor, tem que se desamar com ele...se desfazer...se abandonar num canto de algum lugar qualquer...fora de si mesmo...um lugar desocupado e com espaço pra acomodar todos os pedaços...todas as gotas de sangue...as lágrimas...os risos...a alegria...a saudade...Tem que arrancar raízes pra não rebrotar...tem que desamar direito, bem desamado pro amor não mais querer amar...Desamar o amor é um trabalho  insano que devora o ser que ama na mesa do banquete que sacrifica irmãos animais ...desamar o amor é fim de jornada...é derrota...é despedida...desamar o amor é vontade de quem não tem pra onde ir...é não querer mais se amar...é não se aceitar mais amando o amor que ama e quer desamar.Desamar o amor é uma tremenda burrice de quem não tem nada pra ler...escrever...não tem olhos pra fotografar o reflexo no espelho mais intimo e secreto... do olhar que capta o gosto de amar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário